Os Nossos Amigos

segunda-feira, setembro 19, 2005

A opinião dela sobre a maternidade

"(...)

Não te vou dizer que ter um filho não muda e muito a nossa vida, porque de facto muda. Tudo.

E também acho difícil. E às vezes frustrante, castrador, etc. Eu não gosto de alimentar ideias muito cor-de-rosa sobre a maternidade, já o deves ter percebido no blog. Mas também não preciso que a maternidade seja cor-de-rosa para gostar dela.

Acho que é tão simples como isto: ter um filho faz-nos amar alguém de uma forma que não se pode descrever nem sentir de outra maneira. E isso é fantástico e compensa tudo o resto.

Compensa as noites mal dormidas (para mim o mais complicado), as dores do parto e do pós, a falta de liberdade para sair à noite, para estar a sós ou com o marido, para os programas com os amigos, para as viagens. É claro que isso não significa que não se sinta falta de tudo isto. Eu, pelo menos, sinto!

Eu acho que ter um filho é também uma prova de esforço para o casal enquanto casal. Porque a intimidade fica para segundo plano numa primeira fase, e porque nem sempre é fácil recuperá-la. O equilíbrio na vida do casal com o bebé recém-nascido é difícil de gerir. Os cansaços, as carências, as atenções. A individualidade.

Mas acho que não te estou de certeza a dizer nada de novo, apesar desta faceta nem sempre ser muito abordada neste mundo dos blogs. (O que eu acho pena)

O que eu acho é que sempre que possível deve haver uma consciencialização dos futuros pais para isto. Para não haver surpresas nem tristezas.

Quanto às viagens, acho que é tão simples quanto isto: podes contar com os avós (espero) para uma ou outra ocasião em que queiram fazer uma viagem a dois, e as viagens com eles, ainda que diferentes, limitadas, e certamente mais cansativas, também podem ser giras.

E não é um dizer não às viagens. É um adiar, um deixar para depois, um aguardar.

Nós decidimos ter os dois filhos tão juntos, em parte para que este adiar de tanta coisa (não só das viagens) seja o mais breve possível. Foi uma opção nossa. Não será certamente a ideal ou a melhor, até porque acho que isso não existe na maternidade.

Acima de tudo acho o seguinte: para se ter um filho, o mais importante é querer esse filho. Não importa a idade, a circunstância, o timming (dentro dos limites do razoável, claro). Importa querer. Muito.
É romântico, mas é o que eu acho.

(...)"


Escrito pela Xana

Post "roubado" ali ao lado, com a autorização da sua autora!!!
Roubei porque achei este texto magnifico, porque ... está lá tudo dito!!!!
Palavras para que???
Não há mais nada a dizer!!!

Obrigada Xana!!

1 comentário:

Mamã Babada disse...

Oi!
Gostei imenso deste post. Concordo plenamente com tudo, repito TUDO o que foi escrito. Também acho que a maternidade não é cor-de rosa. Acho que é mais um arco-iris. Uma mistura de cores que apesar de tudo, nos enche a vida