Os Nossos Amigos

segunda-feira, setembro 22, 2008

Brinquedos: guia de compras


Escolher brinquedos nem sempre é fácil, pois uma prenda pode transformar-se num pesadelo.

Rotulagem deficiente, peças pequenas e pontiagudas, arestas cortantes e materiais tóxicos são alguns dos presentes envenenados que poderão chegar às mãos das crianças. Os resultados dos nossos testes têm vindo a demonstrar que a marcação CE não é garantia de segurança.

CE não é garantia de qualidade

Cabe aos próprios fabricantes colocar a marcação CE nos brinquedos, sem que, para isso, sejam obrigados a pedir a uma terceira entidade que analise a segurança dos produtos. Como tal, não é de estranhar que muitos fechem os olhos a problemas de segurança.

Além disso, as normas existentes não são suficientemente abrangentes. Por exemplo, no caso dos brinquedos com enchimento, como os peluches, existem normas para a resistência das costuras, mas não para o revestimento exterior.

Além disso, há brinquedos que não são considerados como tal (por exemplo, fisgas, jóias de fantasia, pistolas de água), estando a qualidade do seu fabrico dependente da consciência dos fabricantes.

Por aqui se vê que a legislação também tem de ser revista. Analise com cuidado os brinquedos que pretende oferecer.

Conselhos para os mais crescidos

Os brinquedos devem ser escolhidos de acordo com a idade da criança a que se destinam.

Antes de comprar, leia com atenção todos os avisos e instruções do brinquedo, nomeadamente, se é resistente ao fogo, se é lavável, etc. Se não existirem ou não estiverem em português, poderá sempre optar por outro brinquedo.

Ainda na loja, peça para abrir a embalagem e ver o brinquedo. Verifique se tem arestas cortantes, pontas ou bordos que possam magoar.

Se o brinquedo for para uma criança até três anos, verifique se existem peças pequenas que possam ser facilmente destacáveis (por exemplo, olhos ou narizes de bonecos). Além disso, se foi um boneco com costuras, certifique-se de que a criança não terá acesso fácil ao enchimento. A criança pode levá-los à boca ou enfiá-los no nariz, correndo o risco de asfixiar.

Evite também brinquedos com fios e cordões compridos, em especial quando se destinam a crianças mais novas, pois se forem enrolados à volta do pescoço podem causar estrangulamento.

Para uma boa utilização dos patins, dos skates, das trotinetas ou das bicicletas, não se esqueça de comprar também o capacete, as cotoveleiras e as joelheiras. Além disso, convém ensinar às crianças que não devem andar de bicicleta na estrada.

Já em casa, antes de dar os brinquedos às crianças desembarace-se das embalagens de cartão ou de plástico que os acondicionam, pois aquelas podem ingeri-las ou enfiá-las na cabeça.

Faça uma revisão periódica aos brinquedos e deite fora os danificados ou potencialmente perigosos. Além disso, convém guardar os brinquedos dos mais velhos (por exemplo, dardos) fora do alcance dos irmãos mais pequeninos.

Depois do divertimento, ensine as crianças a arrumar tudo numa caixa, por exemplo. Os brinquedos abandonados no chão podem tornar-se numa armadilha, provocando quedas graves.

Quando chegar a hora de dormir, não deixe que a criança leve para a cama certos brinquedos que podem causar asfixia, como é o caso de comboios ou outros objectos com fios ou cordas compridas. Contactos úteis


Inspecção-geral das Actividades Económicas: contacte por telefone (213 119 800) ou via Net (correioigae@igae.min-economia.pt ).
Comissão de segurança: contacte o Instituto do Consumidor (213 564 600).

A responsabilidade editorial e científica desta informação é da

1 comentário:

Ric ;) disse...

Olá,
a RTP e a ANTENA1 têm um blogue para as mamãs e papás!

É um programa diário e um Blog, que conta a experiência da Ana e também relatos e entrevistas com médicos, pediatras e muitos pais e outros tantos especialistas.

Para ver e acompanhar em:
http://www.rtp.pt/viagemdacegonha