Os Nossos Amigos

sábado, agosto 18, 2007

Riscos iguais com fármacos ou cirurgia

Abortar com medicamentos ou com cirurgia apresenta os mesmos riscos de posteriores gravidezes extra-uterinas (ectópicas) e abortos espontâneos. A conclusão é de um estudo dinamarquês envolvendo 12 mil mulheres e que vem contrariar investigações anteriores segundo as quais o uso de fármacos é mais arriscado, até em termos de partos prematuros e bebés de baixo peso.

Publicado pelo "The New England Journal of Medicine", o trabalho avaliou o impacto do misoprostol, a mifepristona e o metotrexato - os três fármacos aprovados para a interrupção da gravidez - na gestação imediatamente seguinte a um aborto.

Os investigadores analisaram o primeiro trimestre de gravidez de 12 mil mulheres dinamarquesas a seguir a um aborto, entre 1999 e 2004. Registaram 274 gravidezes ectópicas, 1426 abortos espontâneos, 552 partos prematuros e 478 recém-nascidos com baixo peso, mas com incidência semelhante entre as mulheres que usaram fármacos e as que seguiram o processo cirúrgico.

O estudo não compara, contudo, a taxa de complicações surgida em mulheres que se submeteram a qualquer tipo de aborto e as que nunca abortaram. E teve apenas em conta a primeira gravidez após o aborto.

Recorde-se que, em Portugal, são usados o misoprostol e a mifepristona. Quando combinados, são 98% eficazes na interrupção de gravidezes até às nove semanas, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

3 comentários:

Cláudia disse...

Obrigado pela força PM. Não visitei blogs nenhuns, mas a ti tinha que vir deixar um miminho.
bjs

Sonia,Filipe e Guilherme disse...

Obrigada pela informação.
Sempre útil.
Beijoquinhas

anouska&piolhusko disse...

olá!:)

pois...em relaçao ao post...enfim...nem vou começar a dizer de minha justiça senao nunca mais saio daqui. daqui a uns anos vamos ver mais estudos e mais conclusoes...


gostava muito de ter aqui a foto do meu nequinhas, é possivel??? envio para o teu mail?

beijinhos nossos**